Thirteen

LIVRO | Refugiados

Por muito que se tente esconder, o tema dos refugiados ainda está em cima da mesa e ainda tem muitas pontas soltas. É um tema que me sensibiliza, e talvez por isso a capa listrada de Refugiados"(escrito por Viet Thanh Nguyen) tenha captado a minha atenção na livraria.

Refugiados é um livro de contos que demoraram vinte anos a serem escritos. Viet é, também ele, um refugiado. Chegou aos Estados Unidos em 1975, com apenas quatro anos, ficou ao cuidado de uma família (separado dos seus pais e irmão) e hoje é um assumido crítico das políticas anti-imigração de Donald Trump. O seu livro, publicado em 2018, apresenta-nos as histórias de várias personagens, todas elas com ligação ao Vietname mas com histórias de vida totalmente diferentes umas das outras - e diferentes da do próprio autor. Não é por acaso que Refugiados tem uma dedicatória simples - "Para todos os refugiados, em todo o mundo".

"Um refugiado vietnamita que sofre um violento choque cultural ao ver-se a viver com um casal homossexual em São Francisco, uma mulher cujo marido demente a confunde com uma antiga amante, uma rapariga da Cidade de Ho Chi Minh que reencontra a irmã recém-chegada dos Estados Unidos, a quem, ao contrário de si, tudo correu bem — todos eles são ecos de um mundo em que as fronteiras, aparentemente ténues, são muros difíceis de ultrapassar." 

Refugiados explora, com sensatez e de uma forma oportuna, as temáticas da identidade, da família, do sentimento de pertença, das viagens assustadoras, do amor e da divisão entre países, cidades, culturas. Também não é por acaso que "Refugiados" é muito mais focado nas emoções das personagens. Não nos causa arrepios durante a leitura (porque toda a violência foi suavizada), mas mostra-nos o trauma das experiências de viagem, a necessidade de adaptação, a mesquinhez da sociedade, o oportunismo, a inveja, a discriminação constante. Através destes contos, Nguyen dá voz àqueles que, por necessidade ou sonho, vivem entre dois mundos distintos: o local onde nasceram e o país onde se encontram.

Em entrevistas - que fui ler depois de terminar o livro, tamanha a curiosidade relativamente ao vencedor de um Pulitzer -, Viet Thanh Nguyen refere que Refugiados tem o objetivo de gerar compaixão e empatia. Apesar de os contos não serem reais, são baseados nas vidas de milhares (ou milhões) de pessoas que tiveram que deixar o seu país de uma forma forçada, e isso faz-nos pensar. Como é que, em cinquenta anos, pouco - ou nada! - mudou? E o que podemos fazer para ajudar?


Instagram: @carolinanelas

1 comentário:

  1. Um dos grandes temas do anos, parece-me uma boa opção de leitura, fiquei curiosa!

    ResponderEliminar