Thirteen

1+3 | Palavra-Chave: Amor

Em 2018 nem sempre criei tempo para tudo o que realmente importa, e deixei-me afogar. O trabalho ocupou-me muitas horas, o blogue recebeu muita atenção, o Thirteen Studio precisou de maior investimento, a família recebeu más notícias... e o cansaço foi acumulando até ser absolutamente insustentável. Termino o ano completamente de rastos e com muito medo do que ainda está para vir... mas consigo reconhecer que 2018 teve dezenas de momentos positivos - e são esses que quero destacar.

Perguntei-vos no Instagram Stories se tinham palpites para a palavra-chave de 2018 e as vossas respostas surpreenderam-me. No entanto, ninguém acertou. A palavra que escolhi inicialmente foi "medo", mas quando me debrucei com maior atenção sobre esta publicação, percebi que a minha palavra deste ano seria amor. No meio de tanto medo, de tantos momentos assustadores e de tantas lágrimas, o amor (nas suas diversas formas) ajudou-me muito - talvez até me tenha salvo em muitos dias. Foi um ano difícil, mas esse sentimento nunca me faltou; decidi que era isso que queria destacar nesta reflexão.

2018 desafiou-me a muitos níveis. Testou as minhas emoções, as minhas capacidades profissionais, a minha paciência, a minha resiliência, a minha saúde, a minha firmeza. No entanto, no meio de tantos desafios, trouxe o quinto ano do Thirteen, o meu 23º aniversário (passado na #WebSummit), a mudança para o meu (nosso) apartamento, uma medicação diferente, um InterRail com muitas aventuras (que ainda não consegui partilhar na totalidade!), livros de diferentes temas, um Dia dos Namorados com direito a futebol e pizza, muitas semanas divididas entre Braga, Porto e Lisboa, um aniversário de namoro interrompido, duas idas à televisão, uma estreia na rádio, muitas idas ao ginásio, compras inteligentes, poupanças racionais. 

Em 2018, eu e o Gui celebrámos quatro anos de namoro. Nasceram cinco bebés maravilhosos: a Maria Benedita, a Camila, o Lourenço, a Camila e o Francisco. Celebrei os 98 anos da minha avó. Dei formação. Trabalhei a comunicação do Thirteen Studio com maior afinco (e a marca cresceu tanto!), provei pratos diferentes, estive em lugares que nunca pensei estar, escrevi postais que fizeram outras pessoas chorar de emoção (e recebi alguns também), conheci a Inês, revi a Cherry. Comprei mais livros. Bebi mais chá. O blogue continuou a crescer - e trouxe-me o título de Embaixadora da momondo e a oportunidade de conhecer novas pessoas e produtos diferentes.

Conheci seis cidades novas (Berlim, Frankfurt, Praga, Viena, Budapeste e Cracóvia), regressei a Viana do Castelo, revisitei Lisboa mais vezes do que aquelas que gostaria nos últimos meses do ano, revi o Porto vezes sem conta, visitei lojas centenárias, restaurantes de autor e hotéis de sonho. Vendi alguns dos meus livros. Tornei-me (ainda) mais organizada. Fotografei menos e foquei mais os detalhes bonitos do meu dia. Personalizei, com o Gui, um catálogo do IKEA. Reclamei por (ainda) não termos candeeiros. Fiz mais compras online. Não vi muitos filmes. Evitei o mundo mais vezes do que as que seriam aceitáveis. Fui oradora no "Road Show do Fórum Turismo", na minha antiga Faculdade, e no "Dia Digital" do Factory Braga. Apostei na minha formação: fiz o curso da Academia Digital da Google, fui ao ciclo de conferências do Tudo Sobre E-Commerce e fiz um curso de SEO. Aprendi, também, a fazer a distinção entre horário de trabalho e horário de lazer. Pelo meio, dei vida ao By Cool World e lançámos o Porto Cool.

No início do ano defini cinco objetivos e, agora, posso dizer-vos que concretizei quatro deles (mudar de casa, contribuir para o crescimento do De Mãe para Mãe, criar - e cumprir - um calendário editorial, fazer pelo menos duas viagens). O último - deixar de precisar de medicação - não só não fui capaz de cumprir, como me parece cada vez mais distante. 

Continuo a lutar contra a minha ansiedade, com a agravante do estado depressivo que me foi diagnosticado. Termino o ano com um sentimento de derrota - não por não ter cumprido o último dos cinco objetivos que determinei, mas porque me sinto completamente exausta, sem vontade de sair da cama e com uma vontade (quase) incontrolável de chorar. 

Anseio por um 2019 com boas notícias (sobretudo naquelas temáticas em que somos simples espectadores) e (sobretudo) mais calmo, com a certeza de que o Thirteen continuará a fazer parte da minha vida. Para vocês, desejo apenas o melhor, junto das pessoas que mais amam e que vos amam de volta, sem elementos tóxicos a arruinar os vossos planos. Que o vosso 2019 seja repleto de amor - é o ingrediente que evita que percamos a nossa sanidade mental por completo.


6 comentários:

  1. oh carolina... o teu ano foi maravilhoso, não te sintas derrotada. nao conseguiste deixar a medicação, mas vê e repara em todas as outras coisas que conseguiste conquistar! és uma inspiração :)
    beijinho grande e que 2019 seja melhor ainda que 2018!
    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que temos o amor para se sobrepor a tudo o que existe de mau no mundo. Parabéns por tudo aquilo que alcançaste este ano (que é MUITA coisa, tens todos os motivos para te orgulhares de ti própria!) e muita força para o ano que está para vir. Que 2019 te traga saúde, motivação para continuares a cumprir os teus objetivos e muito, muito amor :)

    ResponderEliminar
  3. O amor é mesmo um elemento fundamental na nossa vida, é, na maior parte das vezes, quem nos mantém à tona, quem nos impede de cair ao poço ou de irmos na corrente.
    O que tenho para te dizer, Carolina, é que és umas lutadora e, ainda que te sintas derrotada (algo com o qual não concordo), pesa bem tudo o que alcançaste, os objetivos que cumpriste e tudo o que conheceste que te fez bem.
    Não imagino o que é viver com ansiedade nesse nível, mas acho que tens tantos motivos para te orgulhares de ti e do teu caminho até agora.
    2018 não foi meigo, por isso, desejo que 2019 te surpreenda, que o amor faça parte de todos os teus dias, que sorrias e que encontres sempre algo pelo que lutar. Força miúda, um beijinho <3

    ResponderEliminar
  4. É frustrante quando um único objectivo deita por terra todos os outros. Muitas vezes me sinto assim e, também termino 2018, com a sensação de estar incompleta, apesar de ter vivido e alcançado tantas coisas boas.
    O importante é que, mesmo nos sentindo assim, não baixemos os braços e continuemos a lutar pelos nossos objectivos, mesmo que nos pareçam mais distantes.
    Nunca desistas! Espero que 2019 te traga o melhor e "keep your head up"!

    Beijinho grande *

    ResponderEliminar
  5. Fizeste e viveste coisas incríveis, talvez a única coisa de que precises seja descansar. Espero que 2019 te traga o merecido descanso e que venha carregado de outras tantas coisas boas!

    Beijinhos e feliz 2019!

    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Mesmo com aquilo que para ti podem não ter sido coisas tão boas e mesmo que o ano não tenha acabado da forma que tu querias, tiveste um 2018 em cheio e devias estar muito orgulhosa de ti. 2019 será com certeza um ano melhor e o importante é que tu lutes sempre nesse sentido.

    Feliz ano novo e que tudo corra conforme desejas!
    Beijinhos grandes,
    dreamcatcherblog2.blogspot.pt

    ResponderEliminar