Thirteen

BLOGOSFERA | A Vida Perfeita?

Se espreitarem o meu Instagram ou se lerem os últimos textos aqui do Thirteen, é provável que lhes associem uma vida livre de dramas. Eu própria, se olhar imparcialmente para as fotografias que publico e para as palavras que escrevo, não lhes associo tristeza, lágrimas ou exaustão. Pelo contrário.

Regra geral, prefiro partilhar episódios positivos. Abordo questões mais sérias de tempos a tempos - porque também fazem sentido neste blogue - mas só fotografo detalhes bonitos. Isso não só não é errado como demonstra a minha postura perante a vida. Sim, estou a lutar contra uma depressão e ando completamente exausta (tenho um tratamento de seis injeções planeado para o início de 2019), mas quero que as minhas plataformas digitais sejam um refúgio e que retratem apenas uma parte da minha vida - a mais feliz.

Faz-me confusão que se aponte o dedo às pessoas que preferem guardar o lado mais negativo para si e que se limitam a partilhar apenas o que vivem de melhor. Não significa que essas pessoas não tenham problemas, dores ou fases delicadas nem significa que queiram passar a ideia de vida perfeita para quem as segue; apenas significa que colocam um filtro nas suas partilhas - sejamos sinceros: queremos mesmo levar com os problemas dos outros quando a nossa vida já está a desmoronar-se, ou queremos, por outro lado, inspirar-nos e ver o que de melhor existe no mundo? Pessoalmente, prefiro a segunda opção.

A vida perfeita não existe, mas todas as vidas têm um lado mais feliz e, para mim, é esse que faz sentido partilhar com o mundo. Ninguém quer ver as lágrimas, os ataques de pânico, os dias passados a dormir, as birras dos filhos, as discussões. E mesmo que todos saibamos que eles existem… queremos mesmo registar esse lado negativo? Somos menos reais por isso?

7 comentários:

  1. Nunca duvidei da tua maturidade, mas se alguém tinha dúvidas acerca disso pode vê-las esclarecidas agora. Estás a passar por uma fase muito negativa da tua vida e, ainda assim, consegues equilibrar muito bem tudo aquilo que mostras nas redes sociais e no teu blog.
    De vez em quando, é importante partilharmos um pouco das nossas dores (como fizeste no teu último post sobre saúde mental), para mostrarmos que somos humanos e para mostrarmos aos nossos leitores que não estão sozinhos nas suas lutas, mas, sim, de um modo geral, é muito melhor partilharmos o lado mais positivo da nossa vida. Até porque esse lado é o que dá muita mais força, não só aos nossos leitores, mas a nós mesmos, pois permito-nos agarrarmo-nos mais a todas as coisas positivas da nossa vida.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  2. acima de tudo há que ter um equilibrio. Não podes viver num fachada de uma vida bonita... tens de mostrar quando algo não está bem contigo... pois ha muitas pessoas que estão a passar pelo mesmo e são incapazes de mostrar e/ou pedir ajuda...
    beijinhos e muita força :)
    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Discordo completamente. Se eu não quiser mostrar o lado mau, não significa que estou a ser falsa ou a "viver numa fachada de uma vida bonita"; significa apenas que não quero que as minhas plataformas digitais tenham uma energia negativa. Os leitores não têm que saber tudo o que se passa - e se é algo de negativo, é normal que os criadores de conteúdo não queiram partilhar.

      Eliminar
  3. Concordo totalmente contigo! Acho que deve haver liberdade e apoio quando alguém decide partilhar o lado menos bom, mas acho igualmente que todos nós temos o direito de partilhar apenas aquilo que queremos e se isso apenas incluir os momentos bons estamos totalmente no nosso direito. Eu por exemplo não partilho nada menos positivo no meu instagram porque não me sinto comfortável a faze-lo numa rede social onde tenho imensos conhecidos, mas no blog já não me faz confusão porque as pessoas que me conhecem não têm acesso. No limite podia escolher só partilhar coisas boas em todo o lado, a nossa segurança e saúde mental vêm primeiro e isso muitas vezes inclui protegermo-nos e guardamos as coisas más só para nós.

    ResponderEliminar
  4. Concordo com o que disse a Cherry, por vezes é importante partilhar o outro lado porque podem existir muitas pessoas que se irão identificar e que muitas vezes irão ganhar força ao ler essas palavras. Mas claro, acho que tens todo o direito em publicar apenas o teu lado mais feliz e inspirador.:) Eu confesso que fiquei surpreendida ao saber da tua depressão precisamente porque ao ver as tuas redes sociais só vejo uma miúda super activa, inspiradora e viajada mas claro, nós não somos só o que partilhamos nas redes sociais...

    Beijinhos
    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Tu é que tens o direito de escolher o que queres e o que não queres partilhar e não, na minha opinião, não és menos real nem estás a fingir ter a vida perfeita, simplesmente, sabes o que queres que os teus leitores leiam. As fases menos boas, se as quiseres partilhar, partilhas e cá estamos para ler.
    És inspiradora. Desejo-te a maior força para essa luta <3

    ResponderEliminar
  6. Cada um decide que tipo de conteúdo coloca online e para mim faz sentido destacar os pontos positivos, o que é menos bom será para ser discutido entre as pessoas que nos conhecem verdadeiramente e isso não é fingir que está tudo bem, significa que tens um filtro. Claro que abordar esporadicamente a situação pode ajudar alguém que esteja a passar por uma situação semelhante mas é muito mais agradável (e terapêutico até) escrever sobre viagens, restaurantes, beleza, um tópico político que sugira um debate interessante do que estar constantemente a lembrar os leitores que estamos numa fase difícil. Eu penso assim e fico feliz por saber que mais pessoas partilham a minha opinião, quanto à tua batalha, espero que tudo melhore em breve, a saúde mental é a base do nosso bem estar e fico feliz por conseguires explorar várias alternativas para melhorar o teu estado

    ResponderEliminar