Thirteen

EVENTO | Victoria's Secret Fashion Show 2018

Este foi, sem dúvida alguma, o desfile de Adriana Lima. Podia começar este artigo de outra forma, (especialmente tendo em conta que já vi e revi os desfiles da Victoria's Secret mil vezes), mas tendo em conta que a modelo teve direito a um mini-segmento, não faria sentido começar de outra maneira; a modelo que mais vezes caminhou entre asas e purpurinas mostrou realmente o que significa roubar a atenção do desfile mais badalado do ano e pendurou as asas de uma forma maravilhosa. Adriana Lima é um ícone da moda e a Victoria's Secret vai certamente sentir a sua falta (e eu também).

Muitas foram as polémicas relacionadas com a marca de lingerie durante o presente ano, e o desfile, em Nova Iorque, não fugiu às críticas. Em blogues, revistas e redes sociais, várias foram as pessoas (mais e menos influentes) que referiram que a Victoria's Secret passou a ser sinónimo do preconceito e da perpetualização da ideia da mulher enquanto objeto, referindo ainda que a marca é gerida sob regras anti-feministas. Não concordo - e explico-vos porquê já de seguida.

O Victoria's Secret Fashion Show (VSFS) acontece desde 1995 (ano de grandes acontecimentos!) e sempre se adaptou às tendências sociais, culturais, musicais e do mundo da moda. Estamos a falar de uma marca de lingerie que não caiu no exagero das modelos esqueléticas quando os castings das grandes marcas assim o ditavam; que é representada por mulheres inteligentes e com personalidades vincadas; que não cria só um desfile mas sim um espetáculo de entretenimento que mistura música e moda de uma forma comercial, para as massas, sem pretensão.

A organização optou por não incluir modelos plus size no desfile - e isso incomodou muita gente - mas não acredito que o espetáculo tenha perdido o mérito ou a diversidade, até porque neste evento estão representados dezenas de países, tons de pele, profissões e histórias de vida. Winnie Harlow - que tem vitiligo (a doença de pele que eu também tenho) - desfilou pela marca este ano, por exemplo, e, nos últimos anos, houve diversas estreias e "primeiras vezes" promovidas pela Victoria's Secret. A marca diversifica dentro dos parâmetros que estabeleceu e que vai adaptando mediante o público que pretende atingir - todas as marcas têm os seus requisitos e as suas condições; não faria sentido de outra forma.

Em 2018, o desfile dividiu-se em seis segmentos (e um extra, dedicado à despedida de Adriana): Flights of Fantasy, Glam Royal, Downtown Angels, PINK, Golden Girls, VS x Mary Katrantzou (a rainha dos padrões!) e Celestial Angels. 60 modelos de várias partes do mundo (pela primeira vez, uma modelo das Filipinas!) desfilaram em Nova Iorque e, entre as escolhidas, duas portuguesas brilharam: Sara Sampaio (no seu sexto desfile!) e Isilda Moreira (que se estreou no segmento PINK).

O VSFS deste ano foi planeado ao pormenor, como sempre, e os segmentos encaixaram uns nos outros na perfeição. A cereja no topo do bolo foram os artistas escolhidos, que à primeira vista pareciam não coincidir com o estilo da marca, mas que foram boas surpresas - Shawn Mendes, Bebe Rexha, The Chainsmokers, Halsey, Kelsea Ballerini, Rita Ora e The Struts animaram o evento.

Nos Estados Unidos, o Fantasy Bra - avaliado em 1 milhão de dólares - foi atribuído com mérito a Elsa Host, que brilhou no segmento Dream Angels. Confesso que não gostei da peça em si, mas acho que resultou bem no segmento em questão. Entre várias asas que me deixaram fascinada, o destaque vai para Adriana Lima (óbvio!), Sara Sampaio e Behati Prinsloo, que regressa de forma triunfal e com a energia que lhe associamos sempre.


2 comentários:

  1. gostei bastante do desfile este ano! a adrina estava divinal!

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  2. Não partilho a mesma opinião do que tu. Não gostei muito do desfile deste ano, achei os segmentos muito desenquadrados e aleatórios, não havia ligação e sentido naquilo, como costuma haver nos anos anteriores. Os únicos segmentos que me fizeram vibrar foi o da Halsey "Without Me" e "Body Talks" . E claro, o tributo à Adriana Lima, que momento!
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar