Thirteen

CINEMA | Bohemian Rhapsody [2018]

Uma sugestão para fugir aos programas parvos de domingo à noite: "Bohemian Rhapsody", o grande vencedor dos Prémios da Academia e um grande tributo ao falecido Freddie Mercury. 

Não posso dizer que seja uma fã incondicional da banda - até porque não tenho o hábito de acompanhar o percurso de bandas ou artistas -, mas fiquei surpreendida comigo mesma por, ao longo de todo o filme, saber de cor toooodas as letras (sendo a minha relação com a música muito mais pontual do que a dos verdadeiros fãs; não imaginava que pudesse cantar para além da tão conhecida "Bohemian Rhapsody").

"Bohemian Rhapsody" retrata a criação e o crescimento da banda que continua a angariar fãs e a colocar pais e filhos (e até avós e netos) em sintonia. O "fenómeno Queen" é algo que muitos ainda tentam compreender e o filme vem ajudar um bocadinho nesse sentido - não por ser biográfico, mas porque contempla todas as características fortes da banda, a irreverência e a extraordinariedade musical.

Este é um dos filmes que tenho pena de não ter visto no cinema - apesar do sistema de som em casa ser brutal, também. Os concertos dão arrepios e o talento é inacreditável; ainda que os pontos críticos da história sejam totalmente reprováveis - e eu não apoio ninguém que é desrespeitoso com aqueles que tornam a vida especial -, não há como não dizer que a música de Queen é mais do que fogo-de-artifício e que passamos a atribuir um significado especial a cada uma das letras depois de assistirmos a "Bohemian Rhapsody". Se ainda não viram, hoje é o dia.

1 comentário:

  1. Adorei o filme e também fiquei com muita pena de não o ter visto no cinema! Por outro lado, vi em casa dos meus pais, na companhia deles, que sempre foram fãs da banda. Já valeu a pena ter visto desta forma :)

    ResponderEliminar