Thirteen

1+3 | Carolina de A a Z

Abraços | Sou uma pessoa esquisita no que diz respeito a afetos. Detesto a tradição portuguesa de cumprimentar toda a gente com dois beijinhos e não sou a melhor pessoa para falar sobre demonstrações de afeto, pois não me identifico com muitos dos hábitos dos portugueses. No entanto, no meio de ações que me fazem confusão, não dispenso os abraços. Reservados às pessoas com quem tenho relações muito próximas - amigos de infância, família (...) - são o meu cumprimento favorito e não só me deixam tranquila nos dias de maior ansiedade, como também são uma forma muito mais sincera de me despedir daqueles que amo.

By Cool World | Tenho a sorte de ter um trabalho que adoro. Trabalhei muito para chegar ao local onde me encontro agora, mas sei que os planetas também se alinharam para me ajudar. O By Cool World é o meu projeto do coração e 2019 tem sido um bom ano. Foi aqui que comecei a minha vida profissional, enquanto estagiária e ainda com um pé na Faculdade, e três anos depois - com outros projetos pelo meio - estou à frente da equipa do By Cool. É uma grande responsabilidade, pois o projeto exige muito de nós e o seu potencial não é suficiente para o fazer crescer, mas os resultados têm sido positivos. Para além de já contarmos com projetos em quatro cidades - Braga, Porto, Lisboa e Nova Iorque - continuamos a trabalhar para chegarmos a mais locais (em 2019 serão lançados mais três, pelo menos, sendo que dois deles serão apresentados muito em breve).

Calças de Ganga | Não pelo tecido em si, mas por aquilo que um par de calças representa para uma mulher. Quando visto umas calças de ganga, eu não estou só a vestir umas calças de ganga; eu estou a celebrar o que muitas mulheres de gerações passadas conquistaram. Eu estou a celebrar a minha Liberdade. Estou a dar valor ao poder de escolha, a celebrar o fim do papel da mulher enquanto dona de casa, a festejar o poder de escolher o que vestir. Como poderia não me sentir grata?

Dias de Sol | Mesmo nos momentos mais negros, os dias de sol trazem energia e vontade de viver. Seja em que altura do ano for, os raios de sol são uma dádiva que merece ser valorizada e que tornam as manhãs mais bonitas e os dias de trabalho mais animados. Para quem vive com um distúrbio ansioso-depressivo, os dias de sol são ainda mais importantes (está comprovado!), e eu só posso ficar feliz por viver num país com tantos dias - e tantas horas! - de sol ao longo do ano.

Escrever | Poder escrever exatamente aquilo que me vai na alma é impagável. Poder ter um blogue e partilhar convosco aquilo que me apetece é ainda melhor. Escrever é terapêutico. Escrever permite-me exprimir os sentimentos que não consigo demonstrar de outra forma. Escrever torna-me mais focada, mais calma, mais atenta, mais tranquila, mais informada.

Família | Digam o que disserem, é o bem mais precioso que tenho. Seja a família biológica, a família que escolhi (e que conto pelos dedos) ou a família que me recebe como se me conhecesse desde sempre (a família do Gui, neste caso), estas pessoas são o meu maior tesouro. Nos momentos de celebração, nos momentos difíceis, nas alegrias e nas adversidades... a minha família está lá para mim e eu sou uma sortuda por ter estas pessoas comigo.

Girl Power | Viver numa época em que o Feminismo ganha uma nova força e um novo impacto é absolutamente inspirador. Cresci com filmes de animação que nunca me fizeram questionar o meu poder – se de um lado havia a Bela Adormecida que era acordada pelo príncipe, do outro havia a Mulan que ia à luta sem medos. Passei pela fase de adorar cor-de-rosa e pela fase de detestar cor-de-rosa. Fiz parte do clube de arte e joguei numa equipa de futebol. Será que fui menos menina na altura em que gostava de jogar futebol e detestava saias e vestidos? Não. Será que condenei o meu futuro de mulher forte e determinada quando passei a adorar cor-de-rosa e a fazer parte do estereótipo que a sociedade havia definido? Não. Nem pensar. Foi esse poder de escolha que me tornou naquilo que sou hoje - com todos os laços e folhos que me apetecer vestir, mas sempre consciente de que não sou inferior por ser mulher.

Histórias | A minha avó sempre me contou muitas histórias. Sobre ela, sobre a família, sobre o meu avô (que não cheguei a conhecer), sobre as aventuras dos meus tios e da minha mãe enquanto eram crianças. Cresci a ouvir histórias sobre as viagens do meu pai, sobre as travessuras da minha mãe, sobre a tendência da minha irmã para se magoar nas situações mais absurdas. Adoro histórias. Adoro projetos com boas histórias. Adoro saber mais sobre as pessoas que tenho ao meu redor. E, felizmente, estou rodeada de histórias inspiradoras.

Instagram | A possibilidade de fotografar os pequenos momentos do meu dia e de não os ter guardados em pastas (que era o que acontecia antes) é a melhor parte. A utilização do Instagram pode parecer algo fútil - e é, sem dúvida alguma, um tópico de primeiro mundo -, porém acredito que seja mais do que isso. A possibilidade de aceder a detalhes bonitos de todo o mundo, de apreciar os momentos mais banais, de viajar sem sair de casa, de nos limitarmos ao lado positivo da vida, de conhecer novas histórias, produtos e pessoas... É a rede social mais positiva, de todas as que utilizo, e a minha favorita.

Justiça | Entre outros, este é um dos valores que mais prezo, e mesmo sabendo que a vida não é justa, luto todos os dias para que haja um equilíbrio maior e menos falhas. Durante os anos de Faculdade, estive envolvida numa situação complicada - que poderia significar não acabar o meu curso ou ter que repetir uma cadeira eternamente -, mas tudo correu pelo melhor. Demorou semanas (meses?) até ficar resolvido, contudo saí vencedora dessa guerra e isso só me tornou mais forte e mais corajosa.

Karma | Cada vez mais, acredito que aquilo que fazemos regressa a nós de alguma forma. Pode não ser imediato, pode não ser na mesma medida, porém acredito que a longo prazo somos punidos ou recompensados pelas nossas ações. Não levo este pensamento ao extremo (não, o cancro não vai desaparecer apenas por termos comportamentos exemplares e não, por muito terríveis que sejamos, a morte não vai chegar mais rápido), mas acredito que todas as nossas ações têm consequências e que o mundo nos oferece aquilo que merecemos.

Livros | Quando a minha ansiedade piorou, passei a ler (muito) mais. Entre livros técnicos, livros com referências históricas e partilhas na primeira pessoa, tenho deixado os romances e a ficção científica de parte. Não me identifico com capítulos inventados, e agora sei que isso não é um problema. O momento de leitura deve ser agradável, por isso não faço fretes para ler o livro que está nos destaques de todas as livrarias se a temática ou o género não me disserem nada.

Marketing (Digital) | Uma área profissional que, enquanto aluna, não fazia parte dos planos. Surgiu por acaso e tudo o que sei aprendi durante os últimos três anos. A surpresa? Adoro o que faço. Estou sempre à procura de mais informação - até porque todos os meses surgem novidades e atualizações - e não podia estar mais feliz com o meu percurso profissional. Foi este blogue que me abriu essa porta, e é incrível olhar para trás e ver o que já conquistei.

Não | A capacidade de dizer não ainda não está limada - ainda digo que sim a muitos projetos em simultâneo, mesmo sabendo que dou em louca. No entanto, ter a possibilidade de dizer "não", de discordar, de criar um debate, de não querer... é uma coisa pela qual todos deveríamos estar gratos - milhões de pessoas não têm, sequer, essa opção.

O Apartamento | Comprar um apartamento no início da casa dos vinte pode parecer uma loucura - e é, em parte! -, mas foi essa a minha decisão e, dois anos depois, a minha consciência está plenamente tranquila. Não teria capacidade para arrendar um espaço, e este apartamento foi uma grande vitória para mim. Não há nada como entrar em casa depois de um dia de trabalho e apreciar o silêncio, sabendo que o meu trabalho me faz mais feliz e independente e desligando-me - pelo menos por uns minutos - de tudo o que aconteceu nas horas anteriores.

Pausas | Tem sido difícil parar e estar tranquila, por isso cada vez mais valorizo os momentos em que consigo fazer uma pausa. Mesmo com medicação, não me recordo da última vez em que consegui dormir sete ou oito horas seguidas, pelo que todas as alturas em que consigo parar, não pensar no trabalho, desfrutar da companhia das pessoas que adoro e aproveitar os raios de sol na esplanada, por exemplo, são valiosos para mim. Cada vez mais compreendo a necessidade de termos tempo para nós próprios, sozinhos connosco mesmos, e tento ter pelo menos cinco minutos só meus.

Qualidade de Vida | Não sonho com uma vivenda ou com um apartamento maior. Não sonho com um carro de determinada marca ou um telemóvel topo de gama. As minhas necessidades básicas estão satisfeitas, estou a ser acompanhada por profissionais, tenho um trabalho que gosto, estou várias vezes por semana com a minha família e com a família do Gui, e consigo viajar algumas vezes por ano, ir a concertos, comprar livros, ter um blogue. Isso é ter qualidade de vida.

Reconhecimento | Estaria a mentir se dissesse que não preciso de reconhecimento. Preciso. O vosso feedback é importantíssimo, tal como a opinião dos meus colegas de trabalho, do meu chefe, dos clientes do Thirteen Studio. O reconhecimento não é a minha motivação, mas enquanto membro de uma determinada comunidade, é bom ser reconhecida e recompensada por aquilo que faço bem.

Segunda-feira | O meu dia da semana favorito, para surpresa de muita gente. A segunda-feira nem sempre chega no momento em que gostaria - também sonho com fins-de-semana mais prolongados, sim! - mas chega sempre com uma nova página na agenda, uma sensação de recomeço e uma energia diferente (mesmo quando o cansaço não desaparece).

Thirteen Studio | Nasceu de uma surpresa no correio, e é agora uma marca que dá passos cada vez maiores. Algo que divido com a minha irmã, com a minha mãe e com a minha prima, com a certeza de que é um projeto que tem pernas para andar e muito para mostrar a quem nos apoia desde o início e a quem vai chegando e ficando a conhecer. Nunca esperei que a minha irmã desse vida a uma marca de t-shirts bordadas à mão, mas não podia estar mais orgulhosa do caminho que o Thirteen Studio tem vindo a percorrer. Podem acompanhar todas as novidades no Instagram - AQUI.

Uber. Vivemos numa época fascinante. Quem diria que iríamos poder chamar um motorista com apenas três ou quatro cliques? A Uber - e a Uber Eats - fazem muitas vezes parte do meu dia (sobretudo em viagens de trabalho) mas representa, nesta lista, a evolução, a facilidade que tenho em chegar do ponto A ao ponto B, em fazer mais em menos tempo, sem me preocupar com gasolina, parque de estacionamento ou horários.

Viagens | Não há nada que me dê mais gozo. Não há nada que o dinheiro compre que supere a chegada a uma cidade que não é a minha. Aquilo que conheço, as experiências que acumulo e que definem aquilo que sou... superam tudo. Não é por acaso que escrevo tanto sobre os lugares que visito e as viagens que faço.

W.I.P | Há sempre algo a acontecer na minha vida. Há sempre um "Work in Progress". Se não é uma dezena de artigos para escrever, é o lançamento de uma nova cidade ou uma formação. Se não é o blogue, é um novo modelo do Thirteen Studio. Se não é uma viagem, é a decoração d'O Apartamento. E por muito bom que seja ficar em casa sem fazer nada, não há nada melhor do que ter uma agenda preenchida com momentos diferentes de trabalho e lazer.

XIII | 13. O meu número favorito. O nome deste blogue. O número que fez, tantas vezes, parte da minha vida (e que continua a fazer!). Na escola de dança, número 113. Na escola secundária, número 13. Em 2013, o lançamento do blogue, a entrada na Faculdade. No ginásio, número XX13 (já não me recordo dos primeiros dois dígitos, admito). XIII - porque não fazia sentido não mencionar este número, porque vivo na Roma Portuguesa e porque o X é uma letra complicada.

ZEN | O objetivo para este ano - ter uma vida livre de pensamentos que me magoam, conseguir relaxar e separar o trabalho do lazer, a vida profissional da vida pessoal. Estou longe do patamar que quero atingir, longe de me livrar da ansiedade que me assombra. Sentir-me mais calma e estar em sintonia com a vida que quero ter é o objetivo.


6 comentários:

  1. Identifiquei-me logo com a primeira frase, sou extremamente awkward no que toca a cumprimentar as pessoas com beijinhos e prefiro abraçar as pessoas de quem mais gosto!
    De resto, adorei tudo o que escreveste e vou por a cabecinha a trabalhar para participar também neste desafio :)

    ResponderEliminar
  2. Achei este desafio muito giro e já escolhi as palavras para cada letra, só falta mesmo desenvolver :).
    Identifiquei-me com muitas das palavras que escolheste, a começar logo pela primeira. Os abraços também são o meu cumprimento favorito (há quem me goze por isso, estão sempre a enviar-me aquele meme com uma figura quase a chorar e a dizer "give me a hug" xD).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Achei tão giro este tema, ansiosa para chegar a este desafio!

    ResponderEliminar
  4. Este desafio é mesmo super engraçado. Adorámos!

    ResponderEliminar
  5. Adorei este post. Revi-me em algumas das tuas escolhas. E vou fazer a minha própria lista também. Já tinha saudades de um 1+3! Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Adorei este tema e mal tenha tempo vou partilhar o meu também!!!
    Em relação à tua publicação, adorei ler e identifico-me com duas ou três das palavras que escolheste :)
    Um beijinho

    ResponderEliminar