Thirteen

WANDERLUST | 09.04.2019

Foste avó de todos nós e de todos os amigos que levamos a tua casa. No teu coração - e na tua mesa - cabia sempre mais um, não importava de onde vinha, que língua falava ou o aspeto que tinha. Ensinaste-nos mais do que qualquer escola, ainda que escrever não fosse o teu forte. As tuas histórias e lengalengas fazem parte das memórias de infância de todos nós, e tenho a certeza que as vamos repetir aos nossos filhos e netos.

Foste uma lutadora, uma revolucionária. Ultrapassaste tudo o que a vida te atirou (e não foi pouco) com uma gargalhada vitoriosa no final. E, mais uma vez, aprendemos que quem trabalha e faz o bem consegue tudo. Até pode demorar, mas consegue. Foste todo o amor do mundo numa pessoa só. Foste colo e disciplina, beijinhos e umas sapatadas ocasionais. Brincaste com carrinhos, caricas e bonecas, e arranjavas sempre qualquer coisa com que nos entreter. Não gostavas que brincássemos com o telefone do corredor nem que nos atrasássemos a chegar a casa da escola. Mas perdoavas sempre.

A melhor comida do mundo saía sempre da tua cozinha, mas todos sabíamos quem lá mandava - e assim continua. Mais que tudo, ensinaste-nos que no coração de uma avó cabem todos, que não há lugar mais justo e igualitário, e que graças a ti somos a família louca e incrível que somos hoje. Os nossos corações de netos transbordam de orgulho de sermos teus e apenas podemos esperar que continues a ter orgulho em nós. Até já.


Texto de Ana Nelas.

Sem comentários:

Enviar um comentário