Thirteen

1+3 | 13 Marcas Portuguesas

Insane In The Rain | Uma marca ambientalmente consciente que mantém o plástico longe dos golfinhos ao utilizar um material proveniente de garrafas descartáveis para produzir impermeáveis coloridos para senhora, homem e criança. Cheios de padrões, os impermeáveis da Insane In The Rain são produzidos em Taiwan, onde os desperdícios são convertidos em matéria têxtil. A marca está sediada em Lisboa e a equipa pretende que a produção também seja trazida para território nacional. Se andam à procura de um impermeável com pinta, um destes pode ser a opção ideal (até porque, com essa compra, haverá menos 20 garrafas de plástico a passear pelos nossos oceanos). 

Conscious Swimwear | Esta é uma marca de biquínis fabricados à mão, criados com Econyl - um tecido que reaproveita plástico retirado dos oceanos. A Conscious Swimwear preocupa-se, simultaneamente, com o meio ambiente e com a estética, utilizando matérias-primas que ajudam a reduzir os desperdícios e a minimizar o impacto da produção das peças. Todo o processo é controlado pela proprietária da marca, Joana Silva, e esta garante que os salários são justos, que não há produção em massa e que tudo é confecionado de forma ética.

Frambooesas | Comprei o meu fato-de-banho no verão passado e não surgiu oportunidade de o vestir, mas está devidamente guardado para ser estreado em 2019. A Frambooesas é uma marca do Norte que se dedica à produção de roupa de praia para senhora (biquínis e fatos-de-banho), mas que também tem uma coleção para o dia-a-dia e opções para os mais pequeninos. É especialista em padrões, cores e folhos - tudo o que os dias de verão pedem! Tudo é produzido em Portugal.

Josefinas Portugal | Não podia falhar nesta lista, até porque a Josefinas é, provavelmente, a primeira marca portuguesa de calçado que me vem à cabeça quando penso nisso. Com sede em Braga e produção em São João da Madeira, a Josefinas tem sabrinas de diferentes modelos, sapatilhas, botas e sapatos para todos os gostos. Por ser criada par a par, sem recurso a confeção em massa, os preços não são os mais convidativos, mas a qualidade não desilude. Inovando em cada coleção, a Josefinas privilegia os modelos em pele, mas também já apresenta algumas opções vegan das sabrinas clássicas.

Thirteen Studio | Quem seria eu se não colocasse o Thirteen Studio nesta lista de marcas portuguesas? O talento da minha irmã e a dedicação que ambas depositamos na marca merece este destaque também. O Thirteen Studio faz um ano no próximo dia 10 de Junho e aposta em peças criadas à mão. Para já, conta com uma coleção de t-shirts bordadas artesanalmente e uma coleção de necessaires criados à mão. Todas as peças têm uma história e algo que as liga a nós (a mim e à minha irmã) de alguma forma.

Mahrla | Apesar de conhecer a marca desde o primeiro dia, só no mês passado fiz a minha primeira encomenda. Independentemente disso, a Mahrla está na minha lista de preferências no que diz respeito a marcas portuguesas e não perco lançamentos ou novidades. A Sílvia é um amor, super prestável e disponível, e isso também faz toda a diferença. As peças são femininas, versáteis e confecionadas com rigor e tecidos de qualidade.

Baguy | Recebi imensos elogios ao vestido que usei no casamento da minha irmã, em Abril, e senti-me verdadeiramente bonita nele. A marca que tem o mérito é a Baguy, disponível online e em algumas lojas físicas. Com diferentes opções suficientemente versáteis para o dia-a-dia ou para uma cerimónia mais formal (depende do estilo de cada uma, claro!), é uma marca que recomendo muitas vezes.

As Deolindas | Descobri As Deolindas no Instagram e fiquei (ainda mais) apaixonada pelas peças depois de conhecer a marca pessoalmente. Desde aí, já duas peças da marca chegaram ao meu guarda-roupa. As Deolindas está sediada em Vila Nova de Famalicão e apresenta um estilo casual e feminino, adequado a distintas etapas de vida e a diferentes eventos. Se, tal como eu, querem apostar mais em marcas portuguesas e apoiar produções mais pequenas, deixo-vos um código que vos garante um desconto de 20% na vossa compra: ADPROMO2. Fica também uma dica: comprando via Instagram, os portes de envio têm um custo mais reduzido.

Captain Tom | Uma descoberta recente. A Captain Tom é mais uma marca portuguesa de roupa de praia (estamos na época ideal para as divulgar, certo?) e também é eco-friendly. Nas campanhas que faz, celebra os diferentes tipos de corpos (sem diminuir quem veste pequenino, e sem envergonhar quem veste números maiores) porque os tamanhos são apenas isso - tamanhos. Entre cores e padrões, acredito que há (mesmo) opções para todos os gostos.

CAMPOS | Foi lançada pela Alexandra Neto no final de Abril, e começou com uma coleção de três peças neutras e intemporais, criadas para serem usadas muitas vezes. A CAMPOS nega a produção em massa, privilegia a qualidade dos materiais e para além dos três vestidos, nesta primeira coleção também tem três acessórios (duas pulseiras de tornozelo e um colar). Confesso que os acessórios não me cativam tanto, mas estou curiosa para saber o que vem a seguir!

Bordallo Pinheiro | No âmbito da decoração, não poderia deixar de referir a icónica Bordallo Pinheiro. É uma marca que merece o sucesso que tem, que leva as tradições portuguesas a novas casas e que tem a particularidade de tornar especial qualquer mesa. Confesso que sou fã das andorinhas em cerâmica para a parede, mas os pratos coloridos também me agradam! É daquelas marcas cujas peças não agradam todos (e eu não consigo gostar de algumas coleções), mas que representam mais do que a sua utilidade.

Aqui Há Peça | Descobri-a por acaso no Instagram, mas rapidamente fiquei encantada com as peças que esta empresa produz. A Aqui Há Peça é uma marca portuguesa recente - a primeira publicação é do início de março - e utiliza a cerâmica para crias peças modernas (lisas e com padrões, simples e elaboradas, em tons claros ou escuros). As peças de cerâmica da Aqui Há Peça combinam entre si e são vendidas à unidade ou em conjuntos, sendo que os preços são bastante apelativos em ambos os casos.

Embrace Inc | Deixar um emprego seguro para seguir uma carreira incerta não deve ter sido uma decisão fácil, mas a Cândida arriscou, seguiu o seu sonho e criou a Embrace Inc. Eu tive a sorte de me cruzar com ela numa fase de crescimento e de mudança, e conheço orgulhosamente a marca desde o primeiro dia. Começou pelos casacos de pelo irreverentes (sem utilização de pelo animal), mas rapidamente continuou a apresentar peças para todas as ocasiões. O ponto forte da marca, para mim, é mesmo a possibilidade de trabalharmos em conjunto com a designer para alterar ou criar uma peça única e exclusiva. Os preços são justos e apelativos.


Sem comentários:

Enviar um comentário