Thirteen

BUDAPESTE, HUNGRIA | 6 Dicas e Curiosidades

A Hungria nunca me tinha despertado curiosidade ao ponto de estar na minha lista de viagens prioritárias, mas as paisagens lindíssimas e a história do país não o faziam passar despercebido aos meus olhos. No final de 2018, pude passar uns dias em Budapeste (antes de seguir para Viena) e fiquei encantada - confirmei a beleza das paisagens e despedi-me da cidade com vontade de regressar. Antes de partilhar os locais que visitei, deixo algumas curiosidades sobre Budapeste:

O nome da cidade pronuncia-se exatamente como em português | Não foi nesta viagem que aprendi a pronunciar corretamente (ou melhor: que aprendi que pronunciava o nome da capital corretamente), mas é sempre engraçado viajar para o lado oposto da Europa e perceber que algumas palavras são ditas da mesma forma. Podemos não saber falar húngaro, mas pelo menos o nome da capital sabemos dizer de maneira correta.

Buda e Peste | A cidade reúne, na verdade, a história de três outras cidades - Obuda (que significa "antiga Buda"), Buda e Peste. Estas duas últimas estão ainda bem assinaladas, uma vez que estão separadas pelo Danúbio (o segundo maior rio da Europa), e são bastante diferentes uma da outra: Buda é mais calma, Peste é mais agitada; Buda tem montanhas, Peste é plana.

Moeda | Ao longo do nosso InterRail passámos por alguns locais com moeda própria - a Hungria foi um desses locais. Em Budapeste (e no resto do país, obviamente), utiliza-se o Florim Húngaro. Os valores do câmbio oscilam, mas 1€ equivale a 323 HUF (aproximadamente). Uma regra preciosa para qualquer pagamento em países onde o Euro não é utilizado: é mais vantajoso e justo se o pagamento for feito com a moeda local (mesmo que aceitem euros ou dólares americanos - não caiam nessa conversa a não ser que o câmbio apresentado seja REALMENTE vantajoso, coisa que nunca é).

O Cubo de Rubik está em todo o lado | O cubo de Rubik foi inventado por Ernő Rubik, húngaro, e o país não nos deixa esquecer essa curiosidade - as lojas de souvenirs vendem-no em quase todos os formatos e com diferentes graus de dificuldade. Os miúdos dos anos 80 e 90 vão delirar com tantos "cubos mágicos".

Metro | A linha 1 é a segunda mais antiga da Europa - só o metro de Londres foi construído anteriormente - e Budapeste tem também duas linhas que ligam as duas partes da cidade, passando por baixo do rio Danúbio. Isto significa que o metro circula a uma profundidade assustadora e que as escadas rolantes íngremes são necessárias nas estações.

"Name Day" | Se em Portugal isto é só uma estratégia para gerar interação nas redes sociais, na Hungria existe mesmo um calendário com a indicação dos nomes celebrados em cada dia. Muitos pais escolhem o nome dos filhos através deste calendário (mais ou menos como acontece com os nomes dos Santos cá em Portugal).








1 comentário:

  1. Uma das cidades do meu coração.:)

    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

    ResponderEliminar