Thirteen

LIVRO | Até ao Fim do Mundo

Cativada pela capa, escolhi-o numa visita à livraria (sim, eu de vez em quando saio de casa e faço compras em lojas físicas). Não tinha lido quaisquer críticas, nem boas nem más, por isso não sabia o que me esperava, mas o meu pai desafiou-me a levar um livro novo para casa e eu alinhei no jogo.

A capa pouco revela sobre a história, mas as suas cores vibrantes e os grandes óculos de sol em destaque sugerem um bom livro de verão - "Até ao Fim do Mundo" é isso mesmo. Nunca tinha lido nada desta autora mas gostei tanto da sua escrita descomplicada que já adicionei mais uns quantos livros de Maria Semple à minha lista do GoodReads. Contraditoriamente à sua capa alegre, este é um livro que aborda temas pesados - a ansiedade, a depressão e a agorafobia são apenas três - mas que o faz de uma forma muito natural e realista, pelo que fiquei presa à história logo nas primeiras páginas.

Apesar de o nome original ser "Where'd you go Bernadette?", o título português - que não faz sentido antes de chegarmos a metade do livro - também tem uma razão de ser. "Até ao Fim do Mundo" é focado em personagens femininas muito fortes, determinadas, sem papas na língua, sem hipocrisias e até um pouco loucas. Tem tudo para correr mal e para se transformar num enorme cliché, mas resulta.

A narrativa está construída de uma forma muito original, sem causar confusão ao leitor. Todas as informações importantes e todos os detalhes relevantes para a história são contados através de documentos trocados entre as personagens (cartas, mensagens, emails e por aí em diante). Através deste formato recebemos novas informações com frequência e a leitura não se torna chata ou demasiado descritiva. À medida que as páginas avançam, surgem novos problemas, novas dúvidas, novos factos, novas informações sobre as personagens (tanto as principais como as secundárias) e somos levados pelos capítulos com curiosidade - este é o motivo para ler este livro em dois dias: a história envolve-nos com a quantidade certa de mistério.

O final deixou-me muitas dúvidas - esperava uma explicação sobre as intenções da personagem - mas, no geral, foi uma excelente leitura. Leve, como eu precisava, mas suficientemente estimulante. Dizem que o filme baseado em "Até ao Fim do Mundo" sai este ano e, uma vez que a autora é argumentista de séries, acredito que possa ser uma adaptação feliz.


Instagram: @carolinanelas

Sem comentários:

Enviar um comentário