Thirteen

BARCELONA, ESPANHA | Palau de la Música Catalana

Se tivesse que eleger o meu local favorito desta segunda viagem a Barcelona, escolheria o Palácio da Música Catalã (Palau de la Música Catalana), pelo que esta é uma publicação muito especial.

Este é um edifício imponente, com uma decoração belíssima e cheia de significado, projetado por Lluís Domènech i Montaner - um grande representante do modernismo na Catalunha - e construído entre 1905 e 1908. O Palácio da Música Catalã é o único edifício de espetáculos declarado como Património Material da UNESCO (desde 1997) e a sua sala principal é absolutamente magnífica, não só pela acústica ou pela organização do espaço, mas também por todos os elementos que aqui foram estrategicamente incorporados. Os vitrais, os mosaicos coloridos, as estátuas, os nomes de artistas de todo o mundo, a clarabóia, os cristais... não há como descrever a paz que se sente neste edifício. 

A visita ao Palácio da Música Catalã pode ser feita livremente, mas tendo em conta o nível de pormenor do edifício e a história que lhe está associada, recomendo que optem pela visita guiada. Esta tem um custo de 20€ para adultos (11€ mediante a apresentação do cartão de estudante) e uma duração aproximada de 55 minutos. É possível realizar a visita em catalão, italiano, francês, inglês ou castelhano (estão afixados os horários das visitas mediante os idiomas). 

Numa primeira fase, somos convidados a ver um vídeo sobre o Palácio. Ficamos a conhecer o historial do espaço, sede do "Orfeó Català", e conhecemos a perspetiva de vários artistas de renome que tiveram a oportunidade de pisar o seu palco. Esta é uma introdução simpática e interessante, nada aborrecida ou demasiado técnica. A seguir, começa a visita propriamente dita. Subimos a escadaria dupla até ao primeiro piso e um misto de emoções apodera-se de nós. Há tanto para observar! Um corrimão trabalhado em pedra, um teto ornamentado, uma quantidade extraordinária de materiais ricos e uma decoração formal, repleta de simbolismo, levam-nos até ao primeiro andar, onde temos duas salas: 1) a sala de espera, com um lustre moderno, portas de vidro, uma varanda com colunas coloridas com mosaicos e 2) a fantástica sala de espetáculos.

A visita guiada é extremamente interessante pelas explicações acerca dos elementos decorativos. Nada foi colocado aqui por acaso. No palco, por exemplo, o grupo de dezoito musas em mosaico e em relevo representam as diferentes músicas do mundo, sendo que cada uma tem um instrumento musical que a representa. E ainda que a sala principal seja, realmente, o foco de toda a visita, é extraordinário explorar os restantes espaços e compreender que nada ficou esquecido, que nada foi menos planeado. Fantástico.








Vejam a opinião da Ângela sobre o Palácio da Música Catalã AQUI.

2 comentários:

  1. Esse local falhou-me na primeira visita mas não vai falhar na segunda. Obrigada pelo relato, Carol!

    ResponderEliminar