Thirteen

BOMBARRAL, PORTUGAL | Bacalhôa Buddha Eden

O Bacalhôa Buddha Eden fica na Quinta dos Loridos, no Bombarral (a cerca de 70 quilómetros de Lisboa) e é o maior jardim com inspiração oriental na Europa. Por ser um lugar tranquilo, onde a Natureza convive com as criações do Homem, é também conhecido como Jardim da Paz. 

Surgiu como uma forma de protesto perante a destruição dos Budas de Bamyan no Afeganistão, em 2001, e tem como principal objetivo dar a conhecer as várias religiões do mundo. A Quinta dos Loridos tem cerca de 100 hectares e só o Bacalhôa Buddha Eden ocupa aproximadamente 40. Ao longo do espaço, encontramos cerca de 200 esculturas, 1000 palmeiras e uma enorme escadaria central. O espaço exigiu um grande investimento financeiro - e a manutenção continua a ser exigente - mas merece a visita. Eu já lá estive duas vezes, em diferentes fases da minha vida, e quero continuar a visitar sempre que possível, até porque o Jardim está sempre a incluir novas obras e é impossível explorar todos os caminhos numa só visita ou num par de horas.

No Buddha Eden existem obras de diferentes tamanhos e materiais, criadas por diferentes artistas de renome, e é engraçado como a crítica à política nacional consegue conviver (de uma forma esteticamente apelativa) com os símbolos religiosos orientais, os soldados de terracota, os animais que vivem na zona do lago e um conjunto de plantas exóticas. Se o objetivo era captar a atenção dos visitantes para a beleza dos símbolos do mundo e, em simultâneo, criar um lugar onde a tranquilidade reina e a arte é acessível a todos... o objetivo foi cumprido. 

O Bacalhôa Buddha Eden tem um pequeno comboio que passa pelos pontos principais do jardim, o que é ótimo para visitantes com mobilidade reduzida e crianças mais pequenas, mas se vos for possível aconselho-vos a fazer a visita a pé. Dicas importantes: 1) o parque de estacionamento (enorme) fica mesmo à porta, dentro dos portões, e pode ser utilizado pelos visitantes e 2) é sempre melhor ir de manhã cedo ou ao final do dia, num dia sem chuva - não há espaços abrigados e tanto a chuva como as horas de maior calor poderão estragar a experiência. Aproveitem as férias







2 comentários:

  1. Estive lá em 2016 e espero voltar em breve. Gostei imenso :)

    ResponderEliminar
  2. Estive lá há uns anos e gostei, em especial, da parte mais elperto da entrada, nas havia zonas que estavam pouco estimadas. Julgo que agora está melhor, apesar disso não é aquele sítio que pense em voltar a visitar

    ResponderEliminar