Thirteen

LIVRO | Comer, Orar, Amar

"Comer, Orar, Amar" não é recente nem desconhecido - até porque a adaptação para cinema foi um sucesso - mas o livro chegou-me às mãos por acidente numa das piores fases da minha (ainda curta) vida e, para minha surpresa, reconfortou-me de início ao fim. 

Elizabeth Gilbert chega a um ponto de ruptura na sua vida. Aos 30 anos luta contra uma depressão, divorcia-se depois de um processo extremamente complexo, faz uma pausa na sua carreira de sucesso, perde a sua casa, questiona o seu conceito de família e larga um novo romance para se reencontrar. Liz, como é amavelmente tratada pelos amigos, decide fazer uma viagem de um ano pelos três países que lhe parecem mais relevantes no momento: Itália, Índia e Indonésia. A busca pelo equilíbrio físico, mental e espiritual parece-lhe essencial depois de ter atingido o fundo do poço no chão de uma casa-de-banho em Nova Iorque e "Comer, Orar, Amar" retrata esta jornada com rigor. Identifiquei-me muito com as suas lutas internas - a pior guerra é a que travo comigo mesma.

O tema da saúde mental é abordado de forma marcante neste livro (o que não acontece no filme). Em "Comer, Orar, Amar" encontramos uma descrição forte e crua no que diz respeito à ansiedade, à depressão e à solidão e isso faz toda a diferença na forma como encaramos esta leitura. O meu mundo e a minha rotina são diametralmente opostos dos de Liz, e ainda assim fui capaz não só de me identificar com a sua crise de identidade, mas também de rever o meu percurso mais recente nas soluções que a foram ajudando a reencontrar-se.

Elizabeth Gilbert leva-nos numa viagem cultural por três países tão diferentes e partilha connosco todas as aprendizagens que retirou da experiência. O foco não está propriamente na viagem, ainda que esse seja o fio condutor que leva Liz ao encontro de uma melhor versão de si mesma, mas sim a jornada espiritual que se desenrola ao longo dos doze meses retratados. Eu não sabia, mas este era o livro que precisava de ler.

2 comentários:

  1. Li há uns anos e gostei imenso. Também li numa fase em que não estava muito bem e lembro-me de ler e sublinhar imensas passagens por sentir que a autora estava a transmitir exatamente aquilo que eu sentia.

    ResponderEliminar
  2. Nunca li :)
    https://thechoice26.blogspot.com

    ResponderEliminar