Thirteen

LIVRO | Depois a Louca Sou Eu

Fui uma das pessoas que conseguiu aproveitar a campanha de oferta de livros no 20ºAniversário da Wook e o escolhido foi "Depois a Louca Sou Eu" de Tati Bernardi, que fiquei a conhecer quando A Pipoca Mais Doce o partilhou no seu Instagram. Fiquei com a ideia de que seria uma história bem humorada sobre um dos temas que me assombra diariamente e quis lê-lo para comprovar que não estava enganada.

"Depois a Louca Sou Eu" está escrito em brasileiro, o que pode ser um impedimento para quem não gosta do idioma, mas não poderia ser de outra forma. É um livro muito fácil de ler, muito realista e cómico. Tati Bernardi relata, de uma forma muito divertida, os seus ataques de pânico e as suas crises de ansiedade (e tudo o que os antecede e sucede). Não há conselhos utópicos ou dicas para exercícios de respiração. "Depois a Louca Sou Eu" retrata, precisamente, os pensamentos que um transtorno de ansiedade promove. 

Ainda que Tati não seja propriamente um exemplo (não vamos falar nas misturas de medicação e nas doses exageradas!), a autora acaba por ser um espelho de quem luta contra os mesmos monstros - afinal, quando o desespero bate à porta, tenta-se de tudo e nem sempre as decisões são as mais corretas. Não posso dizer que me tenha identificado com todos os pontos abordados por Tati ou com todos os comportamentos, mas ler este livro fez-me sentir compreendida. Para quem sofre de um transtorno ansioso-depressivo, é uma sensação impagável.

"Depois a Louca Sou Eu" não serve para dar conselhos nem explicações chatas; é uma forma de relativizar os problemas, de aproximar a doença de quem não lida com ela e de mostrar a pessoas como eu que não estamos sozinhos, que não somos loucos. Reconhecer os nomes de todos os medicamentos referidos por Tati (e compreender na perfeição os efeitos secundários de cada um) não faz de nós loucos, mesmo quando acreditamos que sim (e eu ainda estou a tentar contrariar essa ideia). Ainda que num tom exagerado - porque o humor de Tati baseia-se nisso mesmo - este é um livro para ler de mente aberta e um sorriso no rosto. Sentimo-nos menos loucos quando alguém escreve exatamente o que sentimos.


Instagram: @carolinanelas

1 comentário: