Thirteen

LIVRO | The Farm

Foi uma das minhas leituras de verão e, embora seja um romance, não deixou de me fazer refletir sobre a realidade das mulheres que são contratadas para gerar crianças que não são suas, a das barrigas de aluguer. "The Farm" explora essa temática de uma forma muito natural, apresentando um grupo de mulheres (maioritariamente asiáticas) para quem passar pelo processo da gravidez é apenas uma forma de pagar as contas e criar condições para uma vida melhor (não só para si, mas também para as suas próprias famílias).

Joanne Ramos é a autora que, neste livro, nos apresenta uma escrita simples. Num conjunto de capítulos cujos títulos são, à semelhança do que acontece em "Eleanor&Park", os nomes das protagonistas (sempre mulheres, independentemente do seu poder, estatuto ou profissão), "The Farm" é um livro focado no papel da mulher e no impacto que o local de nascimento tem na vida de cada pessoa, no seu carácter, nos seus objetivos e nas suas ambições.

A ideia de ser paga para gerar um bebé pode soar-nos estranha (e até eticamente questionável), mas é uma realidade (legal em alguns locais) e "The Farm" apresenta-nos uma comunidade onde isso não só é aceitável como é, também, comum. Com uma vantagem: as grávidas (barrigas de aluguer) vivem num local extraordinário e têm direito a todos os cuidados, recursos e alimentos necessários - para que os bebés que carregam sejam fortes e saudáveis. Em contrapartida, a sua liberdade é cortada e todos os seus movimentos são vigiados. A mensagem é explícita: estas mulheres fazem-no por necessidade e não por capricho, ainda que algumas delas acreditem que estão realmente a fazer a diferença na vida dos casais que recorrem a este negócio para aumentarem a família.

Não será, então, uma realidade a avaliar? Confesso que a temática nunca me tinha passado pela cabeça (precisamente porque é um tema que não é abordado com frequência ou destaque), mas não lhe fiquei indiferente. Uma fábrica como "The Farm" não será uma possibilidade (até porque estamos a falar de vidas e de um negócio com muitas questões éticas à mistura), mas a verdade é que já é uma realidade que não cumpre regras e não é controlada. Quantas mulheres são forçadas a engravidar para que outras possam ter um filho? E quantas destas mulheres o fazem, realmente, por vontade própria e analisando a questão de forma consciente?

Não posso dizer que "The Farm" tenha sido uma leitura arrebatadora ou inesquecível, mas sem dúvida que me sensibilizou para esta temática e me levou a repensar algumas certezas. Por essa razão, acredito que possa ser uma boa sugestão para uma das vossas próximas leituras.


Fotografia: The Jakarta Post.

Este artigo inclui hiperligações de programas de afiliados.

Sem comentários:

Enviar um comentário